Courage

Desafio 1+3 - Coragem (primeiro post aqui+   Ensaio Fotográfico #2 (primeiro post aqui)

Eu acho que sou uma pessoa corajosa. Já dei muitas provas disso. A minha vida fala por mim. Mas houve um momento da minha vida em que não o fui. Posteriormente muitas das decisões que tomei escolhendo os outros em prejuízo da minha vida pessoal, tenho a certeza que a explicação está naquilo que quero partilhar convosco, nesse momento em que me faltou a coragem. Ouvir a vossa opinião talvez me ajude a lidar com isso.
Para perceberem a história temos de recuar no tempo, a uma noite, do ano de 1980. Tinha 8 anos. Estava a dormir com a minha avó Isaura. Durante a noite, uma primita bebé que estava a dormir num outro quarto chorou, a minha avó levantou-se para a ir adormecer. No regresso do quarto da bebé para o nosso, a minha avó confundiu-se e entrou numa outra porta. Esta porta dava para as escadas. A minha avó caiu pelas escadas no escuro da casa e da noite. Nós só soubemos disto posteriormente.

Challenge 1 + 3 - Courage (first post here) + Photo Essay # 2 (first post here)
I think I'm a courageous person. I've already proved it. My life speaks for me. But there was a moment of my life when I was not. Subsequently many of the decisions I made choosing others to the detriment of my personal life, I am sure that the explanation is in what I want to share with you, in that special moment that I didn't have the courage. Listening to your opinion maybe help me deal with this.
To you understand  the story we have to go back in time,  in one night of  the year 1980. I was 8 years old. I was sleeping with my grandmother Isaura. During the night, my baby cousin who was sleeping in another room cried, my grandmother got up and went to help her a sleep. On the way back from the baby's room to ours, my grandmother got confused and went to another door. This door led to the stairs. My grandmother fell down the stairs in the dark of the house and the night. We only knew about it later.

Eu dormia profundamente e, sem saber nem como, nem porquê, começo a ouvir uma voz estranha, que me parecia familiar, mas que ao mesmo tempo me assustava. A voz chamava pela minha tia (mãe da bebé que dormia e estava num outro quarto). E, a voz chamava, chamava, mas eu não a reconhecia. Não fui capaz de me levantar da cama porque a voz assustava-me. Assustava-me aquela entoação. O som dela. O grito. A aflição. Tive medo. Eu não queria ouvir mais aquela voz e tapava os ouvidos com as mãos para não a ouvir, mas a voz continuava a chamar. Até que a minha tia acordou e foi ao encontro da voz. 

I slept soundly and, not knowing how or why I begin to hear a strange voice, which seemed familiar to me but at the same time frightening me. The voice called for my aunt (the mother of the baby who slept in another room). And the voice called, called, but I didn't recognize it. I couldn't get out of bed because the voice frightened me. I was afraid of that intonation. The sound of it. The scream. The affliction. I was afraid. I didn't want to hear that voice anymore and I covered my ears with my hands, but the voice continued to call. Until my aunt woke up and went to see what had happened.
A minha tia viu a minha avó caída nas escadas e gritou pelo meu tio. O meu tio levantou-se imediatamente, eu do quarto ouvia tudo o que eles diziam. Ouvi a minha tia chorar e dizer ao meu tio "A minha mãe vai morrer, a minha mãe tem a coluna partida". Eu continuava fechada no quarto. Imóvel. Entretanto já estavam em casa os nossos vizinhos e a ambulância foi chamada. Vi, da janela do quarto, a minha avó sair na maca. Todos saíram. Fiquei sozinha. De repente a minha primita bebé volta a chorar.

My aunt saw my grandmother fall on the stairs and shouted for my uncle. My uncle got up immediately, and I heard everything they said, closed in the room. I heard my aunt cry and tell my uncle "My mother is going to die, my mother broke her lower back ". And I remain closed in the room. Still. Meanwhile our neighbors were already at home and the ambulance was called. I saw my grandmother from the bedroom window on the stretcher. Everybody left. I was alone in the room. Suddenly my baby cousin started to cry again.
Finalmente consegui sair do quarto para a trazer para junto de mim, para a proteger. Estávamos sozinhas. Quando a trouxe comigo, parámos no cimo da escada e sentámo-nos no primeiro degrau a olhar para baixo. A escada estava cheia de sangue e nós a olhar para baixo, para o vazio. Só nos foram buscar já de manhã, mas não me lembro quem. A minha avó morreu passados dois dias.

I finally get out of the room to bring her to me, to protect her. We were alone. When I brought her with me, we stopped at the top of the stairs and sat down on the first step looking down. There's a lot of blood and we were looking down into the void of those stairs. They only come pick us up in the morning, but I can not remember who. My grandmother died two days later.
Photos Taken by Me 
Eu não me consigo perdoar por não ter tido a coragem de ter ido ao encontro do seu chamamento. Ainda hoje ouço aquela voz e, muitas vezes sinto a sensação que ainda estou no cimo daquelas escadas a olhar para baixo, para o vazio.
Compreendo, hoje, que era uma criança que se assustou e que reagiu como criança que era. Vivo com isso, mas não me perdoo. Todos temos os nossos demónios.


Podem comentar o que quiserem.

I can not forgive myself for not having the courage to respond to the call. I still hear that voice today, and I often feel like I'm still on the top of those stairs looking down into the void. 
I understand today that I was a child who was frightened and reacted as a child that I was. I live with that, but I don't forgive myself. We all have our demons.


You may comment on whatever you want.

SHARE:

40 comentários

  1. Obrigado, minha querida :D Isso é verdade :P

    Ai Meu Deus :( Colei do início ao fim e até me custa pensar em todo o sucedido. Não te podes, nem deves, culpar. No fundo eras uma criança e não podias fazer nada... Infelizmente :( Certamente que, passados todos estes anos, ela se orgulha da pessoa que viu crescer <3

    NEW BRANDING POST | CHLOROPHYLA WINE HOUSE: the best spot for the end of the day :D
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  2. Marisa é realmente um momento marcante em sua vida!
    ...
    Acredito que as "coisas" acontecem como tem de ser por isso não se culpe!!!
    Afinal a Marisa era apenas uma criança!!!
    ...
    Bj e gosto dos olhares

    ResponderEliminar
  3. Hello,

    So lovely !

    Sarah, http://www.sarahmodeee.fr/

    ResponderEliminar
  4. OMG so traumatic story, I think most of us have demons from childhood period inside. It's not always to be brave- sometimes its very hard indeed. Especially if you are a child the fear has a different kind of dimension.

    ResponderEliminar
  5. Sinto muito pela tua avo..
    Mas como disseste eras uma criança e nao te podes culpar provavelmente o desfecho seria o mesmo
    Beijinhos e força

    Blog ChocoPink / Instagram / Facebook

    ResponderEliminar
  6. Você não deve se culpar por isso. Você era criança e não sabia como reagir.
    Sinto muito pela sua vó.

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderEliminar
  7. Não dá mesmo para pensar em que te dizer, são coisas que vai ficando para sempre dentro de nós e quando são pessoas mais chegadas ainda mais, sinto mesmo nem sei que te diga, pois também me faz lembrar da minha pois aquele lugar,o sitio não se esquece onde a vi pela ultima vez
    Beijinhos
    Novo post // CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  8. This is such a traumatic story. I can understand why you feel the way you do but then it's incredibly hard to react and act as courageous rational adult when you are just a child. xx

    Much Love,
    Elegant Duchess xx
    https://www.elegantduchess.com/

    ResponderEliminar
  9. Poxa isso é muito triste, ainda mais para uma criança. E sua reação foi de criança, você estava assustada, a culpa não é sua
    Charme-se

    ResponderEliminar
  10. Hi Marisa! Oh, I'm sorry about what happened :( I understand how you feel but it wasn't your fault, as a child is natural to be frightened in a situation like that, probably if I heard an unknown voice at night I'd be paralyzed of fear (even now as an adult to be honest).
    xx

    Freak Muffin Blog

    ResponderEliminar
  11. Nice post, I like it. Great :)

    New post: http://www.alexandarstanisavljevic.com/2018/08/fantastic-weekend-zen-hotel.html

    http://www.alexandarstanisavljevic.com/

    ResponderEliminar
  12. What a sad story, you must have been very traumatized.
    Rosanna x
    Rose's Rooftop

    ResponderEliminar
  13. Que história triste!
    Acho que não te deves culpar, afinal não passavas de uma criança.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  14. What a crazy story. But we can only do what we can do....and you can't feel this way forever. It hurts you more than you realize!!
    XOXO
    Jodie
    www.jtouchofstyle.com

    ResponderEliminar
  15. You were only 8! You must forgive yourself, what would you do that could have made a difference? Nothing. Unluckily your grandmother fate was sealed.
    I am so sorry for her and for you as well, now it's time to forget and forgive.
    Don't Call Me Fashion Blogger
    Facebook
    Bloglovin'

    ResponderEliminar
  16. você não deve se culpar por isso.
    Sinto muito pelo ocorrido.
    bj www.diadebrilho.com

    ResponderEliminar
  17. Your story was very heart-wrenching as you shed the moment when fear took over at a very young age. I am so sorry about what had happened to your grandma. Life can end quite unexpectedly and it was not your fault and you were courageous in your own way, protecting your cousin during the challenging incident. While you are here, I hope you know that you can let go of the story you hold and know that to live now, no matter the circumstance, is courageous. Keep the fire burning :) xoxo

    ResponderEliminar
  18. Situações que ninguém quer passar...mas infelizmente acontecem...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  19. Lamento muito que essa situação tenha acontecido, são sempre momentos que nos ficam gravados e marcados para sempre, mas não há o que perdoar, a tenra idade não permitia outra reacção e provavelmente a avó também não queria que a visse daquela forma.

    MRS. MARGOT

    ResponderEliminar
  20. Eu entendo como deve ter sido doloroso para você, mas não se culpe. Tenho certeza que sua avó tem orgulho da mulher que você se tornou e acompanha os seus passos. Tem coisas na vida que precisam acontecer e a gente não entende o porque.. só tinha que acontecer.

    www.kailagarcia.com

    ResponderEliminar
  21. I'm so sorry for what you experienced. And I see that you understand that as a child, you couldn't be blamed for acting like you did, but I will still say it. Try to forgive yourself. I know that when I tell someone about my demons, they tell me things I know, but don't feel and perhaps one day it will help. You're incredibly brave for sharing your story.

    Kathrin | Polar Bear Style

    ResponderEliminar
  22. Marisa não se culpe por isso, sei que é fácil falar... mas você era uma criança e é como a Kaila disse aí em cima, tem coisas que acontecem e nós não entendemos o porque.
    Se orgulhe de quem é hoje e tente a cada dia ser melhor. Com toda certeza você é uma pessoa de muita coragem.

    https://heyimwiththeband.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  23. Entendo que este acontecido tenha te marcado mas você não deve se sentir culpada justamente pelo fato de você ter apenas 8 anos na época. O que uma criança de 8 anos poderia fazer? Com certeza sua vó, onde quer que ela esteja agora, não quer que esse sentimento de culpa te persiga. Tenho certeza disso <3
    Beijos,

    https://lesjoursdemarcela.blogspot.com

    ResponderEliminar
  24. You should try not to feel about that. I don't think even if you had heard the calls it would have changed anything because she had a serious injury. I'm sorry about your grandma, I hope you can be ok xx.

    Raindrops of Sapphire

    ResponderEliminar
  25. Muito triste a história e sinto muito pelo o que aconteceu com a sua avó,mais acredito que você não deve se culpar,visto que você era uma criança na época do ocorrido.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  26. Tu era uma criança, tomou uma atitude que uma criança normal tomaria. Medo, é normal pela idade. Sinto muito pela a sua vó, mas a culpa não foi sua.
    Beijos,
    Mundo Perdido da Carol
    Instagram: @carolinsweet
    Fan Page

    ResponderEliminar
  27. Oh Marisa! (HUGS) I'm so sorry to read about this event in your life. I totally understand the guilt, but as many have told you, you were just a child and even if you were able to get to her right away, I don't think anything would have changed. :( You were really brave for taking care of your little cousin when everyone left.

    ResponderEliminar
  28. Lamento muito!
    Sei que será sempre mais fácil falar, mas não te podes culpar. Ainda para mais, quando eras tão pequenina e não fazias ideia do que tinha acontecido. Claro que esse fantasma paira sempre, porque é uma memória que se mantém presente, mas espero que, um dia, consigas fechar essa porta e libertar-te desse peso

    r: Sim, é verdade, parece que não se sabe o que é o meio-termo

    ResponderEliminar
  29. Acontecimento tristemente marcante, com certeza.
    Deves perdoar à criança que eras, para puderes deixar de te sentir culpada, para encontrares a paz que mereces.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  30. Não se culpe. Você era apenas uma criança, é normal se assustar e não saber o que fazer.
    Beijinhos!

    galerafashion.com

    ResponderEliminar
  31. Muito triste a história, mas vc não teve culpa de nada, vc era só uma criança e provavelmente estava dormindo e ouviu a voz sem despertar. Não se culpe por isso, foi apenas um infeliz acidente.

    Beijos/Kisses.

    Anete Oliveira
    Blog Coisitas e Coisinhas
    Fanpage
    Instagram

    ResponderEliminar
  32. Que triste, muito ruim esse acontecido.
    Ter medo é normal ainda mais quando somos crianças.
    Beijos
    www.janamakesesmaltesecia.com.br

    ResponderEliminar
  33. Tu eras uma criança e as crianças reagem assim. Não te culpes.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  34. Mas que situação está minha querida, acho que não te deves culpar assim dessa maneira eras apenas uma criança assustada agiste da forma como agiste porque o medo por vezes têm esse efeito nas pessoas, sei que podes pensar que o que estou a dizer para dizer que é fácil. A culpa não foi tua querida muita força.
    https://retromaggie.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  35. Que história complicada, pesada essa situação para uma criança, acho que você reagiu mesmo como uma criança assustada. Certamente uma memória difícil.

    Beijos
    Mari Dahrug
    https://www.rabiskos.com.br/

    ResponderEliminar
  36. Que relato forte. Sabe, todos tivemos medo em algum momento da vida e quando sob muito medo não sabemos reagir, ainda mais você, que era só uma criança. Você não deve carregar essa culpa consigo, você nem fazia ideia.
    Beijos
    http://lolamantovani.blogspot.com

    ResponderEliminar
  37. That is a sad memory.
    You know, I just had a self realization as I was reading
    your post, I was not as courageous as I was when I was younger.
    Sad... but true. Maybe I did not become a coward
    but I have mellowed a lot, time and age have really changed me.

    Ann
    https://roomsofinspiration.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  38. Não tenho palavras sabes? Ler a tua história arrepiou-me. Eras uma criança, tiveste uma atitude correspondente à idade, é normal. Se assim já estava destinado, não acredito que fosses tu que ia mudar alguma coisa. Realmente, todos nós temos os nossos demónios, é importante aceitá-los e deixá-los ir aos poucos.
    Beijinho, Ana Rita*
    BLOG: https://hannamargherita.blogspot.com/ || INSTAGRAM: https://www.instagram.com/rititipi/ || FACEBOOK: https://www.facebook.com/margheritablog/

    ResponderEliminar

Blogger Template Created by pipdig